quarta-feira, 5 de maio de 2010

Ratos desportistas

Ratos a jogar basketball?



Como é evidente, estes animais não estão propriamente a jogar basketball, mas antes a reproduzir um comportamento que sabem lhes trará uma recompensa (neste caso uma pequena porção de alimento de paladar agradável).

Não quero, contudo, dizer com isto que estes animais não são providos de inteligência e que agem como autómatos que controlamos a nosso bel-prazer. Bem pelo contrário, uma vez que, quer em condições naturais quer laboratoriais, os ratos tem mostrado um engenho impressionante, sendo capazes de desempenhar comportamentos muito mais complexos que passar uma bola num arco.

Eu já tive oportunidade de ver ratos em habitats super-enriquecidos e vou mesmo ao ponto de dizer que não só são hábeis na resolução de problemas, como também evidenciam "personalidades" distintas. Estas reflectem-se no modo por vezes diferenciado de como abordam desafios, e não só em características mais gerais como agressividade ou comportamento exploratório.

Posto isto, o que mais me admira não é a capacidade dos ratos para "jogar" basketball (algo muito básico para as suas potencialidades), mas o facto de dois ratos que suponho não se conhecerem se encontrarem e:

a) disputarem um recurso único
b) estarem num ambiente novo, muito iluminado e barulhento
c) poderem estar a recuperar do stress da viagem (ou mesmo "jet lag")

e não aparentarem sinais óbvios de stress ou agressividade para com o outro. Do que conheço destes animais, isto só se explica se os competidores (humanos) tiveram em consideração estas variáveis e as procuraram colmatar de alguma forma. Se fosse eu (e não seria, pois não sujeitaria os animais a isto em nome do "entretenimento" e, mesmo que o fizesse, não seria de basket mas antes de futebol), tê-los-ia levado vários dias antes, habituá-los-ia previamente ao espaço e às condições adversas e apresentaria previamente os animais em competição, procurando habituá-los à presença um do outro. Ah, e escolheria fêmeas, o que amenizaría a questão do estabelecimento de hierarquia pela submissão do outro (ainda que o não suprimisse).

1 comentário:

  1. Segundo a legenda, o jogo desenrola-se no jogo Science Museum of Virginia, Richmond, USA. Assim sendo, a questão que se coloca é esta? Serve este exercício para demonstrar que a ciência pode ser divertida e que os ratos são seres sociáveis e inteligentes (em vez de repelentes) ou serve apenas para o entretenimento? Parece que quer pelos gritos da audiência quer pela maioria dos comentários no You Tube, o jogo goza de bastante popularidade.

    ResponderEliminar

Obrigado pela sua participação no animalogos! O seu comentário é bem-vindo, em especial se fornecer argumentos catalisadores da discussão.

Embora não façamos moderação dos comentários, reservamo-nos no direito de rejeitar aqueles de conteúdo ofensivo.

Usamos um filtro automático de spam que muito ocasionalmente apanha mensagens indevidamente; pedimos desculpa se isto acontecer com o seu comentário.