segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A Floresta Nativa e o Pássaro Misterio

Em Julho deste ano, a Antena 1 emitiu uma reportagem sobre o Projecto LIFE PRIOLO, por ocasião do prémio "BEST OF THE BEST NATURE" ganho por este projecto de conservação, e que é atribuído aos cinco melhores projectos da Comissão Europeia na área da Biodiversidade.

O programa de recuperação da espécie Pyrrhula murina - que, segundo a SPEA, é a ave mais ameaçada em toda a Europa e a segunda mais rara - esteve em curso entre 2003 e 2008 e o seu sucesso pode ser avaliado em várias vertentes:
1) Recuperação do habitat original, com benefícios directos para as espécies vegetais de floresta de laurissilva introduzidas e benefícios indirectos para as outras espécies animais autóctones (como o pombo torcaz ou o milhafre).
2) Eliminação das espécies infestantes e exóticas vegetais (cletra, contreira) e animais (ratos), com benefícios directos para as populações locais.
3) Abertura de postos de trabalho permanentes na região mais pobre da ilha de S. Miguel (Nordeste e Povoação) e uma das mais pobres do País.
4) Execução de estudos científicos interdisciplinares (sociologia, ecologia, zoologia, hidrologia, topografia), com benefícios evidentes para a Região Autónoma dos Açores.
5) Realização de iniciativas de turismo ecológico, que levam à criação de infra-estruturas e postos de trabalho adicionais.
6) Implementação de uma estratégia de Educação e Sensibilização Ambiental com a realização de programas de formação para adultos e educativos para crianças que no seu conjunto contribuem para o bem-estar social das populações.
7) Beneficiação de vias de comunicação.

O Projecto LIFE-Priolo é um bom exemplo de como actuando na defesa de espécies e da biodiversidade se pode harmonizar a vida comum entre homens e animais na criação das bases para um futuro sustentável.

4 comentários:

  1. Queres ver uma coisa gira?

    http://www.spea.pt/ms_priolo/pt/pdf/Dinamica_Populacional_do_Priolo.pdf

    http://www.scribd.com/doc/39623332

    :D

    ResponderEliminar
  2. Nuno, és um visionário! Parece que as tuas conclusões estavam correctas. De quando é este teu estudo? E qual o seu contexto?

    ResponderEliminar
  3. O estudo é de 2007. Coincidiu com o final do meu curso de Biologia, num trabalho-projecto para a disciplina de Ecologia Aplicada, do Prof. João Cabral. Ao princípio a modelação ecológica pareceu-me um bicho de sete cabeças, mas é daquelas coisas que, assim que são assimiladas, fazem todo o sentido e tornam-se ferramentas muitos úteis. As alunas que fizeram o trabalho comigo foram excepcionais e aliás, atribuo-lhes a maior parte do mérito do trabalho.

    ResponderEliminar
  4. Aliás, se não estou em erro, a Rita Bastos continua com esta linha de investigação em modelação ecológica, da qual vai apresentar um pouco já amanhã, nas 4as Biojornadas da UTAD. Já agora, fica a informação que irei desenvolver um workshop nessas mesmas biojornadas, no dia 21, Quinta-feira.

    ResponderEliminar

Obrigado pela sua participação no animalogos! O seu comentário é bem-vindo, em especial se fornecer argumentos catalisadores da discussão.

Embora não façamos moderação dos comentários, reservamo-nos no direito de rejeitar aqueles de conteúdo ofensivo.

Usamos um filtro automático de spam que muito ocasionalmente apanha mensagens indevidamente; pedimos desculpa se isto acontecer com o seu comentário.